Cascavel avança como 11ª melhor cidade do Brasil para se viver com qualidade de vida

Cascavel avançou quatro posições e se tornou a 11ª melhor cidade do Brasil para se viver com qualidade de vida, aponta o Índice dos Desafios da Gestão Municipal. O IDGM mede os avanços nas áreas de saúde, segurança, saneamento e educação entre as 100 principais cidades do país. A pesquisa foi divulgada nesta terça-feira (9).
Entre as quatro áreas analisadas, Cascavel teve sua melhor posição em saneamento e sustentabilidade: 6ª lugar. A posição nas outras áreas foi: 10ª em Saúde, 35ª em Educação e 57ª em Segurança. Na última década, a cidade subiu 35 posições no ranking, o segundo maior crescimento do país.

Em dez anos, Cascavel melhorou sua posição no ranking nas quatro áreas analisadas e não perdeu posição em nenhuma delas. Os números mostram os avanços na Educação (+11 posições), Saúde (+42 posições), Segurança (+26 posições) e Saneamento e Sustentabilidade (+24 posições).

Cascavel está em terceiro lugar no Paraná, atrás apenas de Curitiba (2º lugar) e Maringá (1º). Curitiba está em 7º lugar no ranking nacional e Maringá em primeiro.

Os números foram compilados pela Macroplan, empresa brasileira de consultoria com sede no Rio de Janeiro e atuação em todo o Brasil.

Para o prefeito Leonaldo Paranhos, os números refletem o DNA de Cascavel, a Capital da Produção. “Nossa cidade amadureceu, temos lideranças maduras que ajudam a conduzir o município. Essa soma de esforços faz com que sejamos destaque no Brasil e até no mundo. O trabalho, o empreendedorismo, o amor pela cidade estão no nosso DNA”, afirma Paranhos.

Segunda em crescimento

Os números mostram que na última década Cascavel foi a segunda cidade que mais cresceu no Brasil. Na saúde, por exemplo, os indicadores mostram a cidade em terceiro lugar no Brasil. Um dos fatores que contribuíram para melhorar a posição no ranking, é a cobertura da atenção básica, que saiu de 50% em 2017 para 80% em 2020.

Outro fator que contribuiu para isso foi a taxa de mortalidade infantil que, em Cascavel, foi igual a 9,8 por mil nascidos vivos em 2019, menor que a média dos 100 maiores municípios do país.  Essa foi a 17ª menor taxa de mortalidade infantil nesse último ano. Entre 2009 e 2019, a taxa de mortalidade caiu 27,9% no município. Essa variação foi a 25ª melhor entre os 100 municípios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Legitimação da shippada: usuários do Tinder utilizam ‘lumenês’ em suas bios

Termos comumente utilizados por ex-participante de reality show viraram hit no Tinder

Lumena Aleluia, uma das participantes mais marcantes da edição atual do principal reality show do Brasil, deixou o confinamento ontem. Ela saiu deixando um verdadeiro legado de memes, palavras e expressões que bombaram como figurinhas no Whatsapp e… no Tinder!
Os membros do app mais popular no mundo para conhecer novas pessoas também se jogaram nos jargões da ex-participante. As menções ao termo “Lumena” dentro do app cresceram 3x vezes entre janeiro e março de 2021, alcançado um pico de 5.5x no meio do mês de fevereiro. Já “jornada”, outro termo que era usado por ela em quase todos os contextos possíveis, foi mencionado 4x mais em fevereiro na comparação com janeiro. Outra palavra bastante utilizada por ela ao longo dos dias de confinamento não ficou de fora: o app registrou um aumento de 100% no termo “autorizou” ao longo do mês de fevereiro deste ano.
A jornada de Lumena no reality show acabou, mas os memes e jargões são eternos. Agora o que o Brasil quer saber é: Lumena autoriza ou não esse match?

Faça sua inscrição para o curso on line gratuito de atendimento a maus tratos a animais

A Secretaria do Desenvolvimento Sustentável e do Turismo do Paraná/Sedest-PR, junto com o Núcleo de Educação à Distância da Unicentro/Nead Unicentro, a Universidade Virtual do Paraná/UVPR e a Proteção Animal Mundial, vão promover o “Curso on line gratuito de atendimento a maus tratos a animais”.

As inscrições podem ser feitas no link: https://bit.ly/3aMPPL2 até 5 de março. O curso é aberto para protetores independentes, integrantes de organizações da sociedade civil de proteção animal, técnicos das 399 prefeituras, médicos veterinários e zootecnistas. Todas as informações serão enviadas para o e-mail cadastrado.

São três módulos: Conceitos Fundamentais e Legislação Incidente; Registro de Denúncias e Atendimento aos Maus-tratos; e Maus-tratos e Educação Ambiental. A duração é de três meses e início na segunda quinzena de março.

(Foto: Jonathan Campos/Gazeta do Povo)